Ah, o Natal…

Já estou começando a ver árvores de natal brancas por aí. Dessas já prontas. Não gosto. Parece sala de espera de consultório dentário. E isso me lembra que vou fazer tratamento de canal. Se for pra ter árvore branca, tenha a dignidade de procurar um galho seco, podá-lo direitinho e cobri-lo de algodão. Fica nostálgico, bucólico, artesanal. Eu concedo. No mais, árvore industrializada e branca nem pensar. Uma coisa ou outra. Por favor.

O pisca-pisca é o seguinte: se for colocar na grade da janela, ou da varanda, ou na amendoeira da calçada, pelamordedeus, coloque um que pisque direito, ou que não pisque. Que fique lá paradão direto aceso. É mais digno. Não me ponha daqueles que piscam de um jeito troncho, despedaçado, por partes, entende? Tipo, acende só um pedaço, depois o outro, e tem partes que ficam no escuro pra sempre. Parece que queimou. Tenho pavor desses pisca-pisca que ficam com buracos negros no meio. Me dá TOC.

Sobre rabanadas, é outro seguinte: não coloque uma tonelada de açúcar. Se não gosta delas, não faça. É melhor do que tentar matar as coitadas soterradas em açúcar com canela. Aquilo forma uma crosta que a gente tem que raspar com a colher pra poder comer. Aliás, rabanada é um problema. Também não pode ficar seca por dentro. É pra gente comer sem lembrar que aquilo foi pão um dia. Senão vira só mais um pão doce qualquer melecado de açúcar com canela.

Papai Noel me cansa. Gosto das renas, dos duendes, dos bonecos de neve. Acho fofos. Esqueça o Papai Noel. Aquela coisa de how, how, how então é um horror. Pedófilo sádico e com sudorese excessiva. Pula essa parte. Minha sogra foi lá em casa fazer a decoração de Natal, e pendurou uma cabeça de Papai Noel medonha na árvore de Natal. Com purpurina ainda por cima! Como a árvore é dela, os enfeites são dela, a decoração é dela, e eu entrei SÓ com a casa, fiquei quieta. Não é recomendável contrariar pessoas de idade. Espero que façam isso por mim quando eu estiver velhinha. Pelo menos ele não toca música nem rebola. É só uma cabeça.  Pelo menos a árvore não é branca. E assim sigo a vida fazendo o jogo do contente… Mas aquele velho brilhoso enforcado na minha sala está me tirando o sono. Deve ter sido por isso a minha enxaqueca de ontem. Foi a nossa primeira noite juntos.

Adoro amigo oculto! Me divirto pensando em presentes. Se a pessoa vai gostar ou não são outros quinhentos. Mas se a gente se preocupar com isso, acaba dando aquele presentes genéricos, burocráticos,  tipo camisa pra homem ou coisas do Boticário pra mulheres. Chato. Esse ano meus amigos e eu decidimos democraticamente que o amigo oculto seria do meu jeito: artesanal. Todos terão que se virar pra fazer alguma coisa. Mas a nossa amizade vai sobreviver a isso,  porque temos um pujante espírito de porco. Não é lindo? Esse blog também é cultura.

No mais, amo o Natal. Amaria mais se esse ano ele tivesse se dignado a cair no meio da semana. Mas não. Parece até que o Natal também tem espírito de porco.

Anúncios

Uma resposta para “Ah, o Natal…

  1. Cara, eu sempre achei que eu seria a ranzinza da parada, porque ne, sou rabugenta mesmo (que se registre que eu conto com uma excelente justificativa: sou capricórnio, ou seja, não tenho culpa, os astros me fizeram assim). Mas vc tá pau a pau, amiga!

    Tomara que meu presente fique lindo! Se não ficar o dono vai ter que aceitar, pq o que vale é a intenção e na minha cabeça ele tá lindo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s